11/12/2014

Parlamento, televisões, jornais e Governo


Este país anda mesmo a reboque do que se passa nas televisões e se escreve nos jornais.
Não há por aí jornalista que se preze que não questione ministro sobre uma qualquer notícia que surge nos media.
E não há ministro que logo a seguir não mande saber, investigar ou responder às questões que lhe foram colocadas.
O Governo, pouco ou nada faz, nada tem que fazer a não ser estar preparado para a campanha eleitoral que o seu "chefe" já iniciou.
Ver a Ministra da Agricultura em Óbidos a promover ea a provar a Ginginha de Óbidos, não deixa de ser caricato.  Para a exportação da "ginginha" ter algum peso na nossa economia, não haverá nos próximos anos ginjeiras em Portugal para que tal possa acontecer.
O parlamento, por outro lado tem sido a sala de cinema mais concorrida nestes últimos dias, depois da novela da prisão de José Sócrates.
Banca, banqueiros, industriais e contabilistas, tem sido os principais protagonistas destas novelas bancárias dos últimos tempos.
Até ao fim do anos, vão continuar as cenas e os próximos capítulos certamente que nada de novo encontrarão para saber para onde e como foram desviados aqueles biliões de euros que deveriam estar nos "cofres" dos antigo BES e que "fugiram" sem que por enquanto se saiba em que bolsos andam a passear.
Enfim, Cavaco Silva e Passos Coelho, pouco tempo tem para se sentarem nos seus gabinetes, tanto viajam e até agora e no futuro logo se verá, sem quaisquer resultados.
A Ministra das Finanças entre as viagens a Bruxelas é confrontada com a hipótese mais que certa de que os seus "números" quando chegar o fecho das contas deste ano, não vão dar cert.
Portas e os restantes Ministros, ou viajam ou não se dá por eles, pois ficam refastelados no ar condicionado dos seus gabinetes.
E assim está a ser desgovernado este Portugal

Sem comentários: