28/07/2016

Jose Manuel Fernandes nem uma palavra


Como se esquecem do bem, quando nunca deixavam, no dia-a-dia apregoar o mal.
Os sansões ficaram sem comentários, porque não houve.
O terrorismo verbal …

Sem comentários: